A Cigana Que Sou

Cigano paixão dos meus sonhos!
Quando vejo-te sinto arrepiar minha pele...
Teus olhos me olham tão profundo que sinto me despir...
E como uma louca já quero para teus braços correr...
Meu Cigano amado!
Quero teus lábios em meu corpo sentir...
Toca-me e faz desta noite uma dança...
Que a fogueira seja nossa luz...
O vinho nosso sabor....
Ao som do violino dançarei pra ti com minhas Castanholas...
Sentindo-me amada e livre!
Desejada em teus olhos calar-me-ei.
Deixa-me tonta Cigano amado...
Se aproxime venha comigo dançar...
Encanta-me com teus olhos e toca-me com tuas mãos...
Mostra-me que encanto teu povo tem...
Já nem sei onde estou e quem sou!
Me perco e me acho em teus braços encantados...
Com um suave perfume de rosas e frutas...
Me desperta essa fome do desejo que me tenhas!
Toma-me nua e faz-me tua cigana... 
Quero sentir-te em mim.
Que loucura... não sou mais eu.
Vejo-me cigana... Tua cigana!
Que estava aqui dentro desta mulher que sou...
Essa cigana cheia de paixão...
Não quero entender que magia fez...
Somente te digo Cigano...
A magia que usou está em teus olhos!
Pois me olhou a fundo tão penetrante...
Que conseguiu ver esta cigana adormecida...
E tirou-a de minhas entranhas...
Então ama-me como só um Cigano sabe amar.
Pois vejo-me livre... Sou uma cigana!
Em teus braços encontrei... Esse amor libertador.
Cigano Amado, não fez Amor comigo.
Encantou-me com tua magia levou-me a loucura do êxtase...
Não fizemos Amor... Cigano encantado.
Com calor da fogueira, entre as taças de vinho...
Cheiros de rosas, ao som do violino...
Nossos copos entrelaçados foram consagrados...
Com a Magia Cigana da Paixão que conheci em teus braços!

Carmen SS 29/12/2011

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog